Preocupamo-nos
com a sua Saúde

O ouvido

Tipos de perda

Sinais de perda

Quem é afetado?

Tratamentos

O ouvido

O seu ouvido é um órgão que converte as ondas sonoras que estão no ar em informação no cérebro.
Ouvido Externo

Parte visível do ouvido, constituído pelo pavilhão auricular e pelo canal auditivo até à membrana timpânica.
As ondas de som, transmitidas pelo ar, são recolhidas e conduzidas através do canal auditivo em direção ao tímpano.

Ouvido Médio

É um espaço cheio de ar e separado do ouvido externo pelo tímpano. Nele encontramos três ossos minúsculos, ossículos: o martelo, a bigorna e o estribo, estes ossos formam uma ponte que vai do tímpano até ao ouvido interno e amplificam e conduzem o som até ao ouvido interno através da janela oval.

Ouvido Interno

O ouvido interno, onde se encontra a cóclea, que tem a forma de uma concha de caracol, é composto por muitas secções membranosas cheias de líquido. Quando os ossículos conduzem o som à janela oval (ouvido médio), o líquido move-se estimulando as células nervosas do ouvido no interior da cóclea. Estas células ciladas, por seu lado, enviam impulsos elétricos por meio do nervo auditivo em direção ao cérebro, onde são interpretados como som.

Tipos de perda

Em geral, existem três tipos de perda auditiva: condução, neurossensorial ou mista.
Perda Neurossensorial

Origina-se no ouvido interno, no órgão de Corti e/ou nervo auditivo. É também chamada surdez de perceção nervosa. Ocorre no ouvido interno quando as células presentes na cóclea ou os condutores nervosos sofrem alguma deterioração, impedindo que os sinais do ouvido cheguem ao cérebro. Com este tipo de perda, os sons e as palavras não parecem claros. Este é o tipo de perda auditiva mais comum com o avanço da idade, embora também possa suceder devido à exposição a ruídos altos, diabetes, medicamentos ototóxicos, hereditariedade. A perda auditiva neurossensorial é muitas vezes tratada com sucesso com aparelhos auditivos.

Perda de Condução

Resultado de alterações do ouvido médio. Os sons são impedidos de atingir o ouvido interno, chegando de forma fraca e/ou distorcida. As causas mais comuns para a perda auditiva condutiva é algo que está a obstruir o canal e que pode ser eliminado através de procedimentos médicos ou cirúrgicos. A perda auditiva de condução geralmente tem uma uma melhoria total.

Perda Mista

A perda auditiva mista é uma combinação de uma perda de condução e uma perda neurossensorial, apresenta lesões ou alterações do ouvido médio e interno associadas.

Sinais de perda

Estima-se que uma em cada dez pessoas sofra de algum tipo de perda auditiva.
Sintomas mais comuns:
  • Não compreender conversas;
  • Perda de confiança;
  • Evitar ocasiões sociais ou reuniões familiares;
  • Pedir a pessoas para repetir o que disseram;
  • Dificuldade em ouvir a televisão, rádio ou telefone;
  • Dificuldade em localizar a fonte dos sons - de frente, atrás de si, da sua direita ou esquerda;
  • Concentrar-se nos movimentos dos lábios do seu interlocutor numa conversa.
4 níveis de perda de audição:

Perda de audição Leve (21-40 dB HL limiar)

  • Poderá ter problemas de audição em relação à voz baixa ou em ambientes ruidosos. O desenvolvimento da linguagem é normal, podendo surgir pequenas dificuldades articulatórias à medida que a perda aumenta.

Perda de audição Moderada (41-70 dB HL limiar)

  • Poderá ter alguma dificuldade em ouvir a voz normal. A linguagem e a emissão fonética começam a ser afetadas e há um aumento de perda com o tempo. A perda auditiva moderada dificulta o entendimento, especialmente em ambientes ruidosos. Há nestes casos uma forte tendência para aumentar o volume da TV e do rádio.

Perda de audição Grave (71-90 dB HL limiar)

  • Na perda de audição grave as conversas normais não são compreendidas, neste caso só quando há uma fala amplificada, gritando ou transformando o volume é que a conversa é compreendida.

Perda de audição Profunda (91 dB HL ou superior limiar)

  • Numa perda auditiva profunda não há compreensão do som. A linguagem não se desenvolve se não houver atenção especial e qualificada para o ajudar a criança no seu desenvolvimento cognitivo.

Quem é afetado?

Apesar de a perda auditiva ser mais frequente na terceira idade, a perda de audição pode ocorrer em qualquer faixa etária e por várias razões.

  • 17 em cada 1000 pessoas com menos de 18 anos têm perda auditiva
  • 30% das pessoas com mais de 65 anos
  • 40-50% das pessoas com mais de 75 anos
  • 90% das pessoas com mais de 80 anos
  • NÃO AFECTA SÓ OS IDOSOS: 65% das pessoas com perda auditiva encontram-se entre os 18 e os 44 anos de idade!

Tratamentos

  • Processo de reabilitação auditiva que inclui a adaptação de aparelhos auditivos
  • Administração de medicamentos
  • Cirúrgico